domingo, 15 de junho de 2008

Caminhos

São caminhos. É tudo o que posso dizer. São caminhos. E o caminho faz-se a andar.
Cada um escolhe seus caminhos, suas direcções e seus sentidos. Cada um decide se escolhe atalhos e que atalhos tomar. Cada um tem uma regra de prioridade própria para os cruzamentos e entroncamentos dos seus percursos. Cada um tem a sua velocidade. Cada um tem as suas soluções para os buracos do caminho e para as estradas cortadas. Cada um tem os seus companheiros de viagem. Cada um tem pedaços de caminho que prefere fazer sozinho.
Cada um tem seus caminhos. E o caminho faz-se a andar...
Sophia

4 comentários:

PerleKes disse...

Tu e os comboios!!
tas a melhorar na fotografia!;)
PS:tens que tirar o captcha nos comentarios..nao comento mais por causa disso :p

Sophia Pena disse...

É, eu e os comboios! É quase uma relação de amor-ódio. Dão-me grandes chatices, mas, ao mesmo tempo são grandes amigos e não sei viver sem eles! :P
Não sei o que é o captcha nem como se tira. Se me explicares, talvez tire isso.

Rendeiro disse...

Não gosto da noção dos carris dos comboios como metáfora do percurso, do caminho. Porque não gosto da estrutura, do planeamento, e da má conotação de descarrilar.

Para mim descarrilar é preciso, e é bom. O caminho é o não-caminho, o caos, o não saber para onde ir, o não-planeado.

Num ponto não tenho dúvida, o caminho faz-se andando :-)


PS: O captcha é a coisinha deverificação de caracteres que se preenche para poder submeter o comentário.

Sophia Pena disse...

Pois, os carris! Podem não ser uma grande metáfora, mas, lá está, eu e os comboios!...Gostei dos carris!...
Quanto ao resto, és capaz de ter uma certa razão, mas, eu tou demasiado queimada e tu demasiado metafísico, para eu poder comentar isso convenientemente.
Agora já sei o que é o captcha, mas continuo sem saber como se tira. Mas, acho que isso não aparece sempre ou aparece!?